A Internet das coisas

A “Internet of Things” ou Internet das Coisas numa tradução literal, será uma das muitas novidades de 2012.
Mais e mais, a prototipagem modular, com o uso de dispositivos versáteis e programáveis com múltiplas possibilidades de conexão fará da inovação eletrônica algo ao alcance de muitos.
O protótipo de uma ideia inovadora será algo relativamente barato e simples de se construir, com componentes modulares e programação em C.

A IT4 SYSTEMS vem testando protótipos funcionais com conexão à Internet e coleta de dados ambientais e interação com outros dispositivos do mundo real.

Os experimentos tem se mostrado muito consistentes e estáveis, e um exemplo pode ser conferido no site Pachube, com dados atualizados a cada 10 segundos.

prototipo_pachube

Novos circuitos estão sendo testados, com tamanhos muito reduzidos e conectividade WiFi, funcionamento a pilhas e com sensores ambientais de CO2 entre outros.

A experiência nos demonstrou que a coleta dos dados deve estar próxima dos sensores, pois redes WiFi são muito mais confiáveis do que as transmissões de dados de sensores por FM. Os baixos custos justificam a implantação de antenas maiores de WiFi para a coleta e distribuição de dados via internet.

As possibilidades de prototipagem com circuitos desse tipo é quase infinita e muitos produtos são distribuídos utilizando-se as placas originais, dada a qualidade dos circuitos.

O segredo está no software e nas funcionalidades.

A conectividade com a Internet é requisito básico e a própria interação com os sistemas se dá por meio de páginas Web, com recursos de AJAX inclusive.

A “Internet das Coisas” baseia-se na simplicidade dos circuitos “na ponta” com a escalabilidade dos servidores na nuvem.

Com esta configuração, o alcance de sistemas de coletas de dados remotos, por exemplo, está na possibilidade de distribuir, a baixo custo, uma grande quantidade de sistemas com sensores e conexão à Internet, centralizando em servidores na nuvem os dados coletados.

Além disso, os sistemas pode ser dotados de relês ou contatores e comandar, remotamente, sistemas os mais diversos a partir de comandos num smartphone, via internet. Por exemplo, ligar e desligar luzes e aparelhos de ar condicionado em casa, a partir do trabalho ou do metrô, ou o produtor rural controlar e/ou monitorar sistemas de irrigação remotamente.

As possibilidades são muitas e 2012 certamente trará muitas novidades nesse campo.

Rogério de Avila.

 

Leave a Reply